terça-feira, 11 de novembro de 2008

Tejipió - um ex-bairro de Jaboatão

Por James Davidson



O Bairro de Tejipió, no Recife, é um lugar pitoresco e de origem muito antiga, remontando aos tempos coloniais. Sua história é pouco conhecida pelos próprios recifenses e, por já ter pertencido a Jaboatão, demo-lhes um espaço neste blog.





Cortada pelo rio Tejipió, a região foi ocupada pelos portugueses ainda no século XVI, com a instalação de alguns engenhos de cana-de-açúcar. Estes engenhos pertenciam à freguesia da Várzea - Engenhos São Paulo, Curado, Tejipió, etc. O açúcar era levado em pequenos barcos pelo rio Tejipió, também conhecido como Rio dos Cedros e Rio dos Afogados, até o porto do Recife.



Foi através do Vale do Rio Tejipió que os colonizadores adentraram e conquistaram o Vale do Rio Jaboatão, pela região que hoje é Cavaleiro. Durante o período holandês, o Engenho Tejipió foi confiscado pelos holandeses e passado a João Fernandes Vieira e, por isso, o local passou a ser um dos centros de conspirações contra os invasores.



O Rio Tejipió nasce na Mata do Mamucaia, município de São Lourenço da Mata, nos confins da Cova de Onça. Segundo Teodoro Sampaio a palavra Tejipió significa "raiz de Tejú".





No século XVII, é fundado no local o Engenho Peres pelo português José Peres Campelo que veio em Pernambuco em 1680. Suas terras correspondem hoje à mata protegida pelo quartel do exército de Tejipió. Também neste século, foi erguida a Capela de NS do Rosário que, apesar de inúmeras alterações, permanece no local.


Com a construção da Estrada da Vitória (atual avenida José Rufino), em 1836, o povoado começou a crescer, tanto que em 1858 muitas casas foram construídas ao pé da ponte ali existente. Em 1885 foi criada a Estação de Tejipió, pertencente à Estrada de Ferro Central de Pernambuco e, posteriormente, a de Coqueiral na junção com a linha para Camaragibe. Ambas estações foram destruídas para a construção das atuais do metrô.


No início do século XX, o bairro de Tejipió era um distrito de Jaboatão até que no ano de 1928 foi anexado ao Recife, por ordem do Governador Estácio Coimbra. Nesse período, o local era mais movimentado que Cavaleiro, tendo um mercado público, construído pelo prefeito de Jaboatão Nobre de Lacerda. Este mercado foi destruído posteriomente para que os ônibus elétricos pudessem fazer a volta. Tejipió também possuía uma imprensa bastante movimentada com vários jornais locais como "O Echo".

35 comentários:

aderson disse...

muito bom esse estudo sobre o bairro de Tejipió. Parabéns

paulovictor98_ disse...

minha escola fica proxima a essa igreja :)

Anônimo disse...

eu estudo proximo a essa escola =D

Deyglis Fragoso disse...

Sou pesquisador urbano e meu trabalho de monografia e minha dissertação trata do bairro de Tejipió... caso tenha alguma informação poética sobre o bairro, gostaria que entrasse em contato. Desde de já agradeço. Fiquei muito surpreso com a descoberta do seu blog. Parabéns!

Deyglis Fragoso disse...

Sou pesquisador urbano e meu trabalho de monografia e minha dissertação trata do bairro de Tejipió... caso tenha alguma informação poética sobre o bairro, gostaria que entrasse em contato. Desde de já agradeço. Fiquei muito surpreso com a descoberta do seu blog. Parabéns!

Anônimo disse...

Muito importante esse trabalho, porque ajuda a preservar a história e a memória do lugar. Lembrei de quando era criança, e morava na rua que ficava por cima da antiga estação de Tejipió, assistia missa na Capela N.Sra. do Rosário. Quanta saudade

theo costa disse...

Simpatizo com o bairro, pela história e pela vegetação, tanto que vou morar por lá a partir de 2012. Gostaria de saber se existe algum projeto para construção de um parque ou urbanização de uma parte da mata que fica dentro do quartel militar, afinal seria um presente para a toda população pernambucana.

Borel disse...

Fui menino em Tejipió. Morava na Av José Rufino, 2939. Era um sítio de muitas mangueiras e outras frutas. Papai tinha uma vacaria nesse canto. De casa eu escutava a algazarra dos alunos no recreio da Escola Rural Alberto Torres, e sempre eu estava vadiando na Fazenda Modelo no tempo do boi campeão chamado Limoeiro. Estudei na Escola de D. Olindina no Barro. Estou com 80 anos que é a idade da minha saudade dessa terra onde fui tão feliz na minha infância vadia. Não sei o que é agora a minha 2939.Se fosse possível eu queria fotos da época: ruas casas, enfim. Desculpe-me pela infantilidade. Abraços, Fernando Mendes de Oliveira.

Zsuzsanna disse...

Prezado senhor, Será que seria pedir muito saber se ainda existem arquivos dos jornais mencionados em seu blog? Esse jornal "O Echo", será que em torno de 1930 circulava? Será que haveria modos de encontrar informações sobre uma expedição de biólogos húngaros que esteve na região, na época, para coletar amostras de espécimes? O nome do expedicionário que está sendo pesquisado e que escreveu relatórios sobre suas visitas a essa região, é Gábor Molnár. A expedição depois seguiu para a Amazônia. Muito agradeceria alguma informação, que está sendo pesquisada pelo Museu Nacional da Hungria. Zsuzsanna Spiry (zsspiry@gmail.com)

J.Lins disse...

Amigo, muito bom o seu blog, mas falta referencias, como falei antes, se você as tiverem por favor tem como sede-las!
Atenciosamente:
Jônatas Lins
jonataseahistoria@yahoo.com.br

Anônimo disse...

PASSEI MINHA INFANCIA, EM TEJIPIÓ, ESTUDEI NOS ANOS 60 NO COLÉGIO PRINCESA ISABEL ATRAS DESTA IGREJA, QUEM ERA O PADRE DAÉPOCA ERA O PADRE PESSOA, TBM ESTUDEI NO wANDERLEY FILHO, E NESTA MESMA ÉPOCA, NOS REUNIAMOS OS JOVENS, NESTA CASA ROSA, PERTO DA PADARIA VENEZA E PANIFICADORA TEJIPIÓ.... PEGAVA O ONIBUA ELETRICO PARA IR, PARA O COLÉGIO EST. DE PERNAMBUCO E DEPOIS ESTADUAL DE JABOATÃO JA NO ANO DE 1971, BOAS LEMBRANÇAS!!

Pedro Oliveira disse...

Muito muito bom. Sou de Tejipió, estudei na escola de D. Julieta e frequentei muito a igreja de N.S. Rosário. atualmente desenvolvo projeto de doutorado sobre a bacia do Tejipió, e no futuro este trabalho estará disponível.
Pedro Oliveira nascido na rua Arealva 138, na entrada do Pacheco.

Renato e os dias sem leite disse...

Sou do RS. Encontrei nas coisas de meu avô uma maleta antiga. Diz na Etiqueta: "Fábrica de Malas Julio Lyra- 78- Rua da Victoria - Tigipió - Pernanbuco.
Achei o máximo e gostaria de saber mais sobre a fábrica. Tem registros dela? Anon de fundação? Ainda existe?

Rosa disse...

Muito legal seu blog,nostálgico também. Passei minha infância em Recife,estudei no Wanderley Filho e em outro chamado Humberto de Campos. Mas tem uma coisa que me deixa confusa: morei em um bairro chamado "Barro" e não era tão longe de Tegipió, quer dizer que Jaboatão dos Guararapes, Tegipió e esse "Barro" é apenas um, isto é, Jabotão dos Guararapes? Por favor me tire esta dúvida... Abraços.

Rosa disse...

Muito legal seu blog,nostálgico também. Passei minha infância em Recife,estudei no Wanderley Filho e em outro chamado Humberto de Campos. Mas tem uma coisa que me deixa confusa: morei em um bairro chamado "Barro" e não era tão longe de Tegipió, quer dizer que Jaboatão dos Guararapes, Tegipió e esse "Barro" é apenas um, isto é, Jabotão dos Guararapes? Por favor me tire esta dúvida... Abraços.

Rosa disse...

Muito legal seu blog,nostálgico também. Passei minha infância em Recife,estudei no Wanderley Filho e em outro chamado Humberto de Campos. Mas tem uma coisa que me deixa confusa: morei em um bairro chamado "Barro" e não era tão longe de Tegipió, quer dizer que Jaboatão dos Guararapes, Tegipió e esse "Barro" é apenas um, isto é, Jabotão dos Guararapes? Por favor me tire esta dúvida... Abraços.

Jose Figueiredo disse...

Gente... que surpresa agradável!
Não faço a menor idéia se conheço algum de vocês mas, confesso, adoraria conhecer.
Morei no bairro de Tejipió na década de 60 - infância saudosa!
Morei no bairro do Barro, também.
Estude no Wanderley Filho onde nos meus "Anos Dourados" jogava Volley, Futebol, Tocava na Banda Marcial, cantava no Coral e fui, acima de qualquer coisa muito, muito feliz.
Se a essa altura recebesse contato de algum colega da época ficaria ainda mais feliz.
Meu nome é José J.Ferreira de Figueiredo.
Pretendo voltar muitas vezes aqui.
Beijo a todos.

Jose Figueiredo disse...

Olá, pessoal.
Há muito venho tentando encontrar algum canal que me faça voltar 50 anos... finalmente encontrei!
Morei em Tejipió e estudei no Wanderley Filho na década de 60 e trago comigo o gostinho da felicidade da época.
Adoraria rever os amigos de então.
Voltarei mais vezes aqui, estejam certos.
Beijos

Jose Figueiredo disse...

Estudei no Wanderley Filho na década de 60.
Há muito moro em São Paulo e, em visita ao bairro anos atrás, tentei entrar no prédio e não me permitiram.
Fiquei frustrado...teria sido muito, muito bom rever a sala onde há 50 anos estudei.

Saudade... muita saudade e grandes lembranças.

Beijo em todos

Figueiredo

Jose Figueiredo disse...

Rosa, bom dia.
Morei no bairro de Tejipió na década de 60, como também no bairro do Barro, este, um pouco mais próximo do centro, antes de Areias, Estância, Afogados...
Estudei, também, no Wanderley Filho.
O Barro e Tejipió são bairros independentes.
Beijo

Maria do Carmo disse...

Também fui moradora do bairro de Tejipió(alias meus pais ainda moram por lá) fui aluna do Princesa Isabel e minha irmã mais nova estudou na Escola de D. Julieta. Parabéns pelo trabalho lindo, me fez voltar no tempo, tenho todas essas fotos na lembrança. Obrigada mesmo.

Jose Figueiredo disse...

Bom dia meus caros e saudosos "eternas crianças e jovens de Tejipió".
Para mim, acredito que para quase todos, mais de 40 anos se passaram. As lembranças, entretanto, são eternas.
Quem foi batizado pelo Padre - Cônego - Pessoa, levante a mão.
Quem levou bronca do "Sr. Queiroz", diretor do Wanderley Filho, levante a mão.
Quem tomou caldo de cana naquela esquina do pontilhão que saia na rua XV de Novembro, levante a mão!!!
Quem se lembra da loja de moveis do Lucilo?
Quem comprava pão à tarde na padaria?
Quem tomou injeção na Farmácia Brito ou Farmacia Tejipió?
O fato, caros e saudosos, é que esqueci muita coisa na minha vida mas, graças a Deus, dos dias realmente felizes, não esquecemos jamais.
Um beijo em todos.
Meu nome é José Figueiredo e se alguem desejar dividir essas lembranças me escreva:
j.fefigueiredo@gmail.com

Jose Figueiredo disse...

James...

Obrigado por nos permitir o acesso a lembranças tão agradáveis.

Abç

Figueiredo

Os_Largados disse...

Muito bom!

Anônimo disse...

conforme, o médico e autor de "o recife e a segunda guerra mundial" fala que o Ibura, era chamado de Ibura city e tejipio era elitizada, Rostand Pessoa. menciona isso, e tem uma capela velha, no 4° B. com. do Exército, não sei se diariamente nos finais de semana, mas há datas que é aberta.

Noemy disse...

Excelente explanação. Parabens pela organização do texto.
Muito boa a informação histórica que me ajudou a saber a localização do bairro, a história e ainda o significado do termo "Tejipió", que soa bastante estranho para quem não é de PE.

Noemy Santos

Noemy disse...

Excelente explanação. Parabens pela organização do texto.
Muito boa a informação histórica que me ajudou a saber a localização do bairro, a história e ainda o significado do termo "Tejipió", que soa bastante estranho para quem não é de PE.

Noemy Santos

Noemy disse...

Excelente explanação. Parabens pela organização do texto.
Muito boa a informação histórica que me ajudou a saber a localização do bairro, a história e ainda o significado do termo "Tejipió", que soa bastante estranho para quem não é de PE.

Noemy Santos

JAMES DAVIDSON disse...

São muitos comentarios e agradeço a todos pelo reconhecimento!! Um abraço!!!

Ítalo Soeiro disse...

O artigo lincado abaixo é interessante para compreender a dinâmica atual do bairro: http://www.revista.ufpe.br/rbgfe/index.php/revista/article/viewArticle/1435

Ítalo Soeiro disse...

O artigo lincado abaixo é interessante para compreender a dinâmica atual do bairro: http://www.revista.ufpe.br/rbgfe/index.php/revista/article/viewArticle/1435

Jkarl disse...

Maravilha voltar àqueles tempos. Wanderley Filho... Rua XV de Novembro... Por falar nela, alguém tem fotos dessa rua na época? Venda de Seu Nascimento... Obrigado

David Daniel disse...

Legal todos estes comentários, vim morar em Tejipió entre 2004 e 2005 no Condomínio Maonela Valadares (Hoje abandonado). Tejipió é atualmente um bairro cheios de condomínios que antes eram áreas verdes ou grandes casas, bastante esquecida em relação à fatos históricos e seu passado. Estudo no Erem Aníbal Falcão que (não lembro bem) é centenário nesse ano de 2016, seria legal depoimentos sobre ela, dizem que a escola já foi um casarão dos militares do 7a CIA Com ou supostamente um cemitério clandestino...
Sua história também chega a ser um mistério e Tejipió tem uma atmosfera sinistra, que com essas atuais construções imobiliárias tem até mudado a cara do bairro (fato que odeio).

Anônimo disse...

Relatos maravilhosos. Morei atrás da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, hoje moro em Sucupira, que fica próximo. Todos os dias passo em frente a esse templo maravilhoso, onde fui batizado pelo Padre Pessoa e foi lá também que fiz a Crisma.

Anônimo disse...

Relatos maravilhosos. Morei atrás da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, hoje moro em Sucupira, que fica próximo. Todos os dias passo em frente a esse templo maravilhoso, onde fui batizado pelo Padre Pessoa e foi lá também que fiz a Crisma.
Me chamo Albino. Fui também aluno do Colégio Princesa Isabel.